quarta-feira, junho 29, 2011

QUERO SER AMANTE DE UM HOMEM CASADO


From: QUERO SER AMANTE DE UM HOMEM CASADO
To: blogdobento@hotmail.com
Subject: DEPOIMENTO
Date: Sat, 18 Jun 2011 15:50:35 +0000

Bento, boa tarde.
Há algum tempo tenho acompanhado o blog e vejo que problemas iguais aos nossos existem na vida de muitos e tiro isso como exemplo e conselho...
Hoje sou eu quem tenho problemas e há algum tempo tenho ensaiado para entrar em contato.
Bem, vou começar minha história...

Há cerca de 3 meses conheci uma pessoa pela internet. Sempre entrei no mesmo chat, com o mesmo apelido e sem a intenção de conhecer alguém...Entrava porque moro longe da família há quase 6 anos e sinto necessidade de conversar com pessoas diferentes do meu convívio social e de trabalho e também porque sou uma pessoa de hábitos mais solitários, poucos amigos...Enfim, curto e não curto a solidão!
Começamos a nos falar e eu não demonstrei interesse nenhum...Ele, muito educado , falava de diversos assuntos e conseguiu prender minha atenção. Depois de muita insistência da parte dele (que se dizia solteiro) , acabamos trocando messenger e continuamos nosso assunto por lá...Confesso que foi uma das melhores conversas que tive até hoje...Ele era engraçado, inteligente e o papo perdurou por horas...Fizemos isso durante uma semana seguida...Nós nos ''esperávamos'' quase como que um encontro online, falavamos por horas e sempre percebi que ele me esperava ou entrava em algum horário que saberia que estaria lá só pra me dizer um ''oi'' ou perguntar como estava sendo meu dia...
Só que naquela mesma semana que nos conhecemos, me enviou um e-mail pedindo desculpas, dizendo que estava se sentindo mal por aquilo que tinha feito naquela semana, falando que não poderia me encontrar como havia prometido (ele viria até a minha cidade na próxima semana) , simplesmente por um fato: ele era casado!
Sempre fui relutante quanto a isso...Cresci numa família cheia de princípios cristãos de que a família é uma instituição preciosa diante de Deus entre outras coisas... Enfim...
Respondi o e-mail dizendo que gosto de sinceridade nas pessoas, só que não sabia se aquela pessoa que conheci durante aquela semana era ele ou era um personagem...Não o exclui e pedi que ele falasse quais eram os motivos para ter mentido daquela forma...
Na segunda-feira, ele entrou no mesmo horário e veio conversar comigo...Percebi que ele estava diferente, mais atencioso...Contou que era casado há 17 anos, que o casamento no início tinha sido feliz, realizado...Que o mesmo tinha entrado em crise há 1 ano, pois ele tinha mais uma amiga e companheira dentro de casa e não uma mulher, que iria se separar quando veio a notícia de que a esposa estava com um tipo agressivo de câncer... Então, resolveu apoia-la, abdicando das suas necessidades de homem,oferecendo o carinho e a companhia dele em todos os momentos...Afirmou que tinha sido muito difícil, que ela quase morreu durante a cirurgia e que a vida dele tinha sido um ''inferno'' durante aquele tempo...Que depois do tratamento, ele e a esposa eram apenas amigos, mas que ele sentia falta de amor e paixão...
Bem, respondi que ele estava certo em apoia-la, que deveria ficar ao lado dela mesmo, pois isso era o correto! Combinamos que seríamos amigos e continuamos nossas conversas do mesmo jeito...Só que dalí pra frente, comecei a perceber que ele estava mais atencioso...Que mesmo meio tímido às vezes escapavam algumas indiretas...As conversas ficaram mais longas, com maior frequencia (ele acessava durante o trabalho só pra me dar um boa tarde) e combinamos de nos ver naquela semana para um almoço (meu primeiro encontro com uma pessoa do mundo virtual).
O encontro aconteceria na sexta-feira...Trocamos telefones na quinta e combinamos um almoço rápido, pois iriamos aproveitar as 4 horas que ele teria antes do voo, que sairia da minha cidade...Naquele mesmo dia, estabelecemos que só seríamos amigos e que não passaria disso!
Sexta-feira chegou...Ele me ligou dizendo que estava na portaria do meu prédio...Desci para atende-lo e ao ve-lo senti uma sensação esquisita...Nos abraçamos e de primeira rolou um longo e demorado beijo, cheio de paixão e carinho...
Ele subiu até minha casa, deixou as malas, me deu bombons de presente e retomamos aos beijos...Saímos para almoçar, rimos, nos divertimos...Ele era tímido, mas, engraçado, atencioso, carinhoso...Era perfeito!
Passeamos pelas ruas daqui, de mãos dadas, nos abraçava-mos e vivemos aqueles momentos como se fossemos namorados apaixonados...Ao mesmo tempo que me sentia feliz, me sentia mal, pois pensava que ele era casado, do peso da palavra ''amante'', do preconceito das pessoas, na minha família cristã, na esposa doente...Bem, ao chegarmos em casa, sentamos e conversamos mais durante um tempo...Ele me beijou mais algumas vezes e ofereci meus pés pra que ele fizesse uma massagem, já que estava com dores horríveis naquela semana...Depois daí, já imagina o que aconteceu...
Nem bem tinha saído daqui, mandou uma mensagem agradecendo por aquela tarde maravilhosa e dizendo que não se sentia feliz assim há tempos...Eu fiquei nauseada e triste a tarde inteira, sentindo raiva e nojo do meu próprio corpo, mas, não conseguia me arrepender de conhecido alguém que me fez tão feliz por algumas horas...
Continuamos a nos conversar durante todos os dias, ele cada dia mais apaixonado e eu me permitindo a esse novo sentimento...Só que minha moralidade começaram a trazer discussões e chegamos até a romper antes do próximo encontro...Ele enviou um e-mail contando sua história, seus problemas de timidez durante toda juventude e contou que eu era a segunda mulher que tinha conhecido na vida dele... Passei por cima dos meus conceitos e orgulho ao perceber que estava ficando apaixonada ...
O próximo encontro foi após quase 1 mês...Ele veio de carro e, como minha família e ele moravam em cidades vizinhas, combinei que voltaria com ele... Nosso encontro após esse tempo foi mágico, perfeito...Nossa viagem foi romântica, maravilhosa... E depois dela percebemos que já não conseguíamos mais ficar um longe do outro... Ele continuava com a esposa, mas, dizia que a estava tratando de forma fria, distante... E eu com os mesmos dilemas, cobrando uma posição e ficando egoísta com a chegada da paixão...
Rompemos mais uma vez...Ele não teve coragem de me ligar e, mais uma vez, foi por e-mail, desejando que eu fosse feliz, agradecendo pelos momentos e dizendo que me amava, mas, que nosso amor não era possível, porque a esposa precisava dele e que se algo de ruim acontecesse com ela, não queria ter esse peso nas costas...Sofri muito...Chorei durante horas e passei por cima do meu orgulho próprio ao mandar um e-mail...Liguei pra ele diversas vezes e ele não atendia...Até que me retornou e não consegui calar meu choro durante a conversa...
No outro dia, ele pediu pra conversar...Mandou uma mensagem e marcamos horário pra nos falar...Ele expos seus motivos e eu concordei que estava sendo egoísta, me coloquei no lugar dele e vi que faria o mesmo...Reatamos e afirmamos que não conseguiamos mais viver um sem o outro, até que pela primeirr vez ele disse que me amava e que foi horrível me ouvir chorar ao telefone...A partir desse momento nos tratavamos de namorados...Ele me chamava de namorada e eu o apresentei assim para minhas amigas...
Ficavamos quase 20 dias sem nos ver, pois ele viaja muito, mas, a cada encontro era um carinho e paixão que nunca senti na minha vida...
Na última vez, ele veio pra cá e comemoramos nosso dia dos namorados...Trocamos presentes, ele passou uns dias em casa e tudo estava bem, até que ele não me ligou no mesmo final de semana...
Na segunda, enviou uma mensagem falando que teve uma crise hipertensiva e que conversaríamos na terça, à noite... Tive a mesma sensação quando terminamos nas vezes anteriores...Sabia que o perderia...
Na terça, ele entrou a noite...Conversamos e percebi que ele estava distante...Até que introduziu o assunto...
A enteada pegou o celular dele, leu umas mensagens um mês antes e as apagou (mensagens que perguntei se ele havia recebido, e ele disse que não) e contou apenas para a mãe dele, só um tempo depois...A mãe dele apareceu por lá, conversou com ele por horas e cobrou uma decisão...Ele passou mal, ficou em observação no hospital e tomou a decisão: me deixou!
Disse que só seríamos amigos, que ele me trataria de uma maneira mais respeitosa, que não me ligaria, não enviaria mensagens etc etc...Meu mundo caiu...Pedi por favor, mas, ele se mostrou irredutivel...Se despediu com um adeus...Eu mandava mensagens, ligava e ele não respondia...Até que entrou novamente no msn, ouviu o que eu tinha a dizer e disse que me procuraria quando fosse livre, quando não tivesse esse peso nas costas e quando não tivesse que viver esse amor dessa forma...
Não como há dias, só choro, perdi a concentração total no meu trabalho, não saio de casa...Perdi a alegria total de viver...Não chego nem perto de ser a pessoa alegre que sempre fui...Me sinto murcha, vazia...Oro a Deus pedindo forças pra continuar todos os dias, porque não tem sido fácil...
A cada e-mail que envio, ele me pede perdão por me fazer sofrer...Admite que é um canalha, um nada, que dói me ver assim, mas, é a decisão mais correta...
Essa semana, entrou no msn e disse que está com saudades de conversar comigo...Talvez tenha sido uma recaída, pois se arrependeu depois e disse que era melhor darmos tempo pra essa ferida cicatrizar... Que quando puder, me procurará, mas, que não sabe se vou quere-lo ainda...Que sente muito, deseja minha felicidade e que não quer que sinta mágoa ou ódio dele...

Não sei mais o que eu faço, Bento...Oro, oro...Peço uma luz, um caminho...
Digo sempre a Deus que talvez esse tenha sido meu castigo por viver algo que não era certo perante Ele...
Tenho medo de nunca mais ve-lo, dele não me procurar como promete...Não sei se ele realmente me ama ou amou como disse...Só sei que não me vejo mais sem ele...
Por favor, peço um conselho porque dentro dessa situação não consigo ver a solução!

Agradeço imensamente se puder responder e peço desculpas pelo desabafo longo!

Deus abençoe imensamente sua vida.

R.


 

=========================


 


 

Minha querida irmã, que Deus lhe conceda sabedoria do alto,


 

Agradeço a sua confiança e por isso mesmo lhe direi sem rodeios: saia dessa cilada que você armou para si mesma. Saia já, em nome de Jesus!

Eu não sei a sua idade. Portanto, o que eu digo aqui tanto vale para uma jovem com idade para ser minha filha como para uma mulher da minha idade. O que eu tenho a dizer para ambas é a mesma coisa: saia dessa cilada que você armou para si mesma. Qual é a cilada? Essa do título que eu dei a esse texto: QUERO SER AMANTE DE UM HOMEM CASADO. É isso mesmo que você quer? Não? Mas era isso mesmo que você estava ou está sendo: amante de um homem casado.

O que você esperava como resultado da quebra de suas próprias regras?

Você esperava estar colhendo felicidade para todos os envolvidos plantando o que foi plantado?

Minha querida, dê graças a Deus por você ter saído assim, vazia. Quando eu mesmo caí nessa armadilha, saí com uma filha não planejada. Portanto, não falo para você cair fora dessa como se eu fosse seu Juiz. Não, eu falo como seu colega de infortúnio. Falo como alguém que experimentou na pele os resultados de cair em tal armadilha. Não há final feliz para tais empreitadas feitas contra nossa própria consciência. Eu sabia que agia errado com aquela moça tendo-a como amante – ainda que por poucas semanas.

Insistir naquilo que a gente sabe ser em desacordo com a felicidade gera infelicidade, nossa e dos outros. Simples assim.

Muita gente se escandaliza comigo quando eu digo que minha bíblia só tem dois versículos. Dizem eles [os versículos], em suma, que se deve adorar a Deus no próximo, tratando-o como gostaria de ser tratado. Você não gostaria que tomassem o seu marido, por que tomarias o da tua próxima?

Você pede a Deus o quê? Uma resposta? De um pecador igual ou pior que você? Então aqui vai a minha:

1. Confie em Deus mesmo. Creia que abrir mão desse moço agora é um ato de confiança sua em Deus e que Ele fará você encontrar alguém livre e que te fará ainda mais feliz. Sim, mais feliz porque feliz você precisa ser hoje. Seja grata a Deus por hoje, por agora. Pelo que você tem e não pelo que perdeu. Se você quer andar com Deus, confie Nele.

2. Abra mão desse moço já. Não queira trazer sobre a cabeça dele, e da sua também, a culpa que ele mesmo já diz sentir. Assuma que ele não é a pessoa certa para você, nessas circunstâncias. Não chame para si o papel de catalisadora das razões do final do casamento dele. A culpa seria jogada sobre você. Fuja dessa enquanto pode!

3. Trate já de esquecer esse moço. Em MEU AMOR ME DEIXOU. O QUE EU FAÇO AGORA? escrevi algumas dicas que podem ser úteis a você. Faça as adaptações necessárias ao seu caso. Foram elas:

1. Não se desvie do seu caminho. Você é um homem bom e íntegro. Portanto, não permita que sentimentos ruins acerca dela habitem a sua mente. Não deseje que ela se estrepe para poder voltar para você. Resista a tentação de falar mal dela. Continue sendo quem você sempre foi e não permita que a amargura se instale em seu coração. 

2. Aceite que a relação de vocês acabou mesmo. Não alimente pensamentos do tipo: "vou arrumar uma mais bonita e mais nova para esfregar na cara dela"; "vou aumentar o meu patrimônio e/ou minha renda para ela ver o que perdeu me deixando"; etc. Qualquer coisa que você disser que vai fazer, no futuro, para que ela veja que você fez, irá te deixar ainda ligado a ela.

3. Dê graças a Deus por hoje e por esse momento. Sim, diga a Deus que você gostaria que ela ainda estivesse com você, mas que você reconhece que ela não mais está. Confie que Deus está no controle de tudo. Faça como os Salmistas que conversavam com a alma e perguntavam: "por que estás abatida ó minha alma? lembra-te do Senhor e das suas bençãos". Foi Deus quem te fez encontrar ela. 

4. Reeduque a sua mente para não pensar nela. Se você pensava nela - e tinha prazer nisso -, vigie-se para não continuar com o hábito. Evite pensar nela porque senão você vai ficar como programa de computador em "looping" (travado e sem produzir nada). 

5. Procure não saber nada sobre ela. Apague todas as mensagens e fotos dela do seu celular. Nada de telefonemas ou SMS para ela. Não fique olhando fotos de vocês, nem visitando o perfil dela no Orkut ou no Facebook. Não faça isso nem como "anônimo" e nem como fake, sob a desculpa de que "ela não vai saber". O objetivo não é "ela não saber", mas você não alimentar as lembranças que se transformarão em "idealização" e manterão sua alma presa a dela.

6. Comece a fazer algo novo durante os horários em que vocês costumavam ficar juntos. Corra. Vá malhar numa academia. Aprenda a jogar xadrez. Frequente novos ambientes. Não fique no trabalho até tarde com a desculpa de que "agora você não tem para quem voltar". Conheça novas pessoas. Etc.

7. Não envolva outras pessoas em um problema que é apenas seu. Resista a tentação de "dar o troco" saindo com alguém por quem você nada sente. A pessoa não merece ser usada por você, assim como você não gostaria que te usassem.

8. Não use a saudade dela como desculpa para encher a cara de bebida ou drogas. Fuja da fuga. Mantenha-se sóbrio. 

Essa é uma lista minha. Muita gente boa pode ter outras sugestões. Mas isso é o que eu faria se estivesse no seu lugar.

4. Dê graças a Deus por você estar livre para encontrar alguém livre. Sim, agradeça por agora estar no caminho certo para encontrar alguém que seja a pessoa certa para você – que até pode vir a ser aquele moço, mas só se ele estiver livre e não você causar a separação dele.

Por último, veja algumas cartas respondidas pelo meu amigo Caio para pessoas com situações parecidas com a sua.


 


 


 

Bem, isso é o que eu tenho a lhe dizer e espero que seja útil a você e a quem leia esse texto.

Bjs

Bento Souto

http://blogdobento.blogspot.com/

blogdobento@hotmail.com

Um comentário:

Chico Ribeiro disse...

Insistir naquilo que a gente sabe ser em desacordo com a felicidade gera infelicidade, nossa e dos outros. Simples assim.

Isso é uma excelente regra para o nosso bem-viver.

Valeu, Bento !