quinta-feira, julho 28, 2011

O "deus" EM QUEM EU SOU ATEU!

 

klu klux kan

Certo médico descobriu a cura para uma doença que matava a todos na cidade onde ele vivia. Como era de se esperar, o médico vacinou seus familiares contra a doença. Contudo, mesmo havendo vacina suficiente para todos na cidade, aquele médico decidiu que somente uns poucos iriam ter acesso à vacina.

Durante anos, aquele médico vacinou apenas alguns pacientes de quem ele gostava. Alguns deles, o médico vacinou-os enquanto eles dormiam, sem que eles sequer houvessem tomado conhecimento. Os demais, o médico deixou que morreressem sem aplicar neles a vacina.

Alguém que age assim pode ser chamado de um "médico que ama seus pacientes"?

Lindemberg matou Eloá porque ela se recusou a continuar namorando com ele. Lindemberg amava verdadeiramente Eloá?

Hitler acreditava na superiodade da Raça Ariana e considerava os Judeus a escória do mundo, por isso dicidiu exterminá-los.

O que os três exemplos anteriores possuem em comum?

Eles são retratos humanos do "deus" em que muitos cristãos crêem.

Um "deus" que, se humano fosse, e fizesse o que os cristãos dizem que ele faz com toda a raça humana, seria condenado em todos os tribunais humanos.

Um "deus" que não oferece escolhas... mas que só é seguido e obedecido se usar da "força" da aplicação da vacina...

Um "deus-lindemberg" que se não for amado... não apenas mata... mas põe aquele que se recusa a amá-lo numa churrasqueira sem fim...

Um "deus" que tem a vacina -- mas só aplica em quem ele quer -- e culpa os que morrem da doença que ele se recusou a curar... (e ainda joga os doentes que morrem na mesma churrasqueira sem fim!)

Sem rodeios: num "deus" assim, eu sou ateu!

De um "deus" desse, eu quero distância!

Do "amor" de um "deus" desse, eu peço que Deus me livre!

Chamar o "amor" de um "deus" desse de "evangelho" é a piada de mais mau gosto que eu já ouvi na vida!

O Pai que anseia pela volta do filho que foi pra longe e o recebe com festas, quando o filho decide voltar, não tem nada a ver com esse "deus".

O Jesus que pode ser encontrado por todo aquele que usa de misericórdia e amor para com seu próximo, não tem nada a ver com esse "deus".

O Cordeiro que foi morto, antes da fundação do mundo, em remissão pelos pecados de toda a humanidade, não tem nada a ver com esse "deus".

O Deus que estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens os seus pecados, não tem nada a ver com esse "deus".

Portanto, Evangelho é essa notícia... de que da parte de Deus já está tudo pago; tudo reconciliado; e que, como o Pai do filho pródigo, Deus nos aguarda de braços abertos para a reconciliação que Ele mesmo já promoveu em Cristo.

Um "deus" cujos caminhos são facilmente inteligíveis aos humanos -- como são os caminhos desse "deus" descrito acima -- é um "deus-humano", criado à nossa imagem e semelhança.

Já o Deus que governa o Universo e os corações dos homens, enquanto eles tomam decisões próprias -- o que torna qualquer escolha inexplicável -- é um Deus maior do que nossos pensamentos!

Isso talvez se dê porque Amor não se explica... Amor se mostra, amando!

Considere o que eu lhe digo faz sentido.

Bjs

Bento Souto

http://blogdobento.blogspot.com/

blogdobento@hotmail.com

3 comentários:

Chico Ribeiro disse...

Perfeito!

Concordo em gênero, numero e grau !

Cláudio Nunes Horácio disse...

Maravilhos, tbm sou ateus deste deus. Eu hein? Bento mano, vou postar no meu blog. Abraços.

Nair Morbeck Sobrinha disse...

MARAVILHOSO, ESTOU SEM AR, LI COM UM ÚNICO FOLÊGO!
TAMBÉM SOU ATÉIA SE TIVER QUE ME SUBMETER A UM DEUS ASSIM!

Shalom